Últimas

9 de fevereiro de 2017

Pesquisar tratamentos no Google se tornou mais confiável


Sabe aquela consulta que você faz no Google para saber a que se refere o tal sintoma que apareceu do nada, bem como qual o melhor tratamento antes de procurar por ajuda médica? Antes condenada, essa prática tão comum agora se tornou mais confiável graças à parceria entre o buscador e o Hospital Israelita Albert Einstein.

De acordo com Google, uma em cada cinco buscas feitas na ferramenta são relacionadas à saúde e por isso não dava mais para ignorar esse fato com o discurso de que não se deve fazer tais pesquisas por conta própria, até porque parece que só aguçou a curiosidade do internauta.

Disponível desde 06 de fevereiro apenas na versão do Google para dispositivos móveis, infelizmente, a ferramenta prioriza os resultados de 400 temas e de 150 a 200 sintomas, os mais buscados, que foram atualizados e validados por profissionais da saúde do famoso e respeitado hospital de São Paulo. Ou seja, em vez de zilhões de links aleatórios, aparecerá essas informações já chanceladas pelo Einstein, organizadas por tema e em leiaute personalizado. 



Por exemplo, quando se busca "dor no joelho" aparecem condições associadas, tratamentos e orientações, inclusive autotratamentos como "colocar gelo", podendo em alguns casos o internauta baixar a pesquisa em formato PDF para levá-la à consulta médica. Surtos e epidemias, como as de zika, febre amarela, gripe e chikungunya, por exemplo; terão informações oficiais e orientações divulgadas pelo governo.

Segundo país a adotar a nova ferramenta, atrás apenas dos Estados Unidos que a implantou no ano passado, a meta da parceria é tornar as buscas por interpretações médicas mais precisas e confiáveis e de quebra reduzir e até erradicar o acesso a sites que propagam informações médicas falsas, pouco precisas ou nada saudáveis. Com isso, se espera que o paciente, de posse das informações verdadeiras, procure o atendimento correto o quanto antes em vez de se automedicar. 
Contudo, vale lembrar que tais buscas não substituem a consulta médica, principalmente aquelas em que os sintomas se somam a outros ou mesmo tomando os cuidados recomendados nos resultados validados não surtirem efeito. Lembre-se: o "Doutor Google" é para auxiliá-lo, não para substituir o médico de verdade. 


Informações e imagens: reprodução /divulgação


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...