Últimas

8 de dezembro de 2016

No combate a obesidade, diga não a sabotagem


Combater a obesidade é um processo lento que precisa ser encarado como desafio e por isso deve vir acompanhado de tratamento médico, nutricional e de educadores físicos. Mas o que você deve estar fazendo de errado que ainda não consegue emagrecer? Confira se você não anda sabotando seu tratamento sem saber.

De acordo com o endocrinologista Amélio Godoy Matos, em entrevista ao site Minha Vida, contar apenas com remédios para emagrecer sem mudar os velhos hábitos não é a melhor tática, até porque não funciona em grande parte das vezes, o que causa frustração e até o abandono do tratamento. 

Portanto, fuja das ciladas que você mesmo cria e ajude o seu tratamento a te ajudar a emagrecer. Confira algumas dicas:

Um olho nas calorias e outro naquilo que irá comer: é melhor ter no prato uma parcela maior para muitas frutas, legumes e verduras e uma menor para carboidratos e proteínas a ficar contanto as calorias de tudo o que você come e bebe. Até porque de nada adianta contar as calorias ingeridas quando elas são "vazias", vindas de comidas industrializadas ou altamente processadas que são ricas em gordura, proteínas, açúcares e carboidratos e pobres em nutrientes. Não sabe identifica-las? Um bom nutricionista pode te ajudar a montar um cardápio bacana para as suas necessidades e de quebra a sentir prazer em comer alimentos que, talvez, nunca tenham feito parte da sua dieta.

Vaza sedentarismo: da mesma forma, manter a medicação em dia e comer melhor não te ajudará se você não forçar o seu metabolismo a queimar a gordura excedente, que é obtida por meio da prática de exercícios físicos. O método mais eficaz para perder peso é combinar exercícios aeróbios, como a caminhada, com exercícios resistidos, com a musculação. Invista em um bom personal trainer para montar o treino ideal para você.

Mantenha as emoções sob controle: observe se você acaba comendo mais e errado quando passa por momentos de angústia, tristeza, ansiedade e /ou estresse. Se a resposta for "sim", é melhor procurar ajuda de um terapeuta comportamental para frear a compulsão alimentar que muitas vezes é a causa da obesidade. Conheça-se!


É preciso deixar para traz as comidas ricas em "calorias vazias" e começar a comer as que são fontes de nutrientes.

Dê o próximo passo: se você há algum tempo já tomou todas essas medidas e ainda não conseguiu resultados satisfatórios contra a obesidade, possui índice de massa corpórea (IMC) maior do que 40 - ou com IMC maior do que 30 e tendência a desenvolver doenças associadas à obesidade como o diabetes -, talvez seja a hora de perder o medo de métodos mais agressivos e encarar a cirurgia, como a bariátrica, como uma nova opção de tratamento. Consulte seu médico e veja se esse é o seu caso. 

Pare de substituir ou de compensar: é comum pessoas que já perderam muito peso ou mesmo o conseguiram por meio da cirurgia bariátrica criar hábitos compensatórios - como começar a fumar, beber ou fumar e beber mais do que de costume - como forma de substituir o prazer que perderam por não poderem mais comer compulsivamente e de forma errada (as tais comidas com "calorias vazias", que são altamente viciantes). Prefira descobrir novos prazeres como aqueles em que você ficava impossibilitado de curti-los devido ao excesso de peso, além de manter os hábitos saudáveis e a prática da atividade física.

Jamais cometa os erros do passado: não é porque você "afinou a cintura" que irá abandonar a comida saudável e voltar a atacar a geladeira cheia de gorduras calóricas. É preciso ficar claro para a pessoa que tem tendência à obesidade de que ela não pode vacilar por ser uma doença. Se não manter os hábitos saudáveis, que lhe ajudaram a perder peso, pode trazer consequências mais imediatas como a desnutrição e a volta da obesidade.

Encare a tudo isso não como um "sacrifício", mas sim como uma forma diferente e prazerosa de viver repleta de hábitos novos e saudáveis. De que adianta comer tudo o que você tem vontade e na quantidade que você acha que precisa se está “se matando” a cada dia? Não sabote a sua felicidade, até porque comer e sofrer não são sinônimos de viver. 


Imagens: reprodução




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...