Últimas

16 de agosto de 2016

Substitua o uso do carro pela bicicleta em 6 etapas


Devido aos congestionamentos dos grandes centros, emissão zero carbono em seu uso e ainda pela prática de atividade física são as magrelas, e não os carros voadores, que se tornam a cada dia o meio de transporte individual do "futuro". Deixar ou substituir o carro e o meio de transporte urbano pela bike não é tão simples, mas se torna mais fácil se você seguir estas 6 etapas básicas.

1.Planeje a substituição: toda mudança não é fácil como girar uma chave liga-desliga. É preciso se acostumar com a ideia, principalmente se a substituição se refere o deslocamento diário para o trabalho e estudos. O ideal é fazer um planejamento que inclua preparação física e psicológica. Comece aos poucos, inserindo a bicicleta no seu no dia a dia e vá evoluindo para um treino de adaptação para que se acostume com o esforço, ritmo e percurso que fará. Se achar difícil começar a pedalar sozinho, procure pedalar em grupo. Assim, você terá mais segurança, não chegará destruído ao seu destino e muito menos ficará tentado a voltar para o carro ou meio de transporte urbano habitual. 

2.Use roupas e calçados adequados: a grande preocupação de quem quer começar a usar a bike diariamente se refere ao que vestir, principalmente se for obrigado a usar terno e gravata no trabalho. Não há uma regra e o importante é se preocupar com roupas que facilite a transpiração. Se puder, deixe no trabalho o terno ou algumas peças para que se troque quando chegar ou leve-os consigo em um alforge, o porta-malas da bike, ou em uma cesta, que também serve para levar outros pertences e apetrechos de trabalho, como smartphone, tablets e notebooks.

3.Escolha a melhor rotanem sempre o caminho mais rápido feito por carro é o melhor para fazer com a bicicleta porque pode ter subidas e avenidas movimentadas, principalmente nas cidades em que as ciclovias são poucas ou inexistentes. O ideal é traçar e praticar por diversas vezes, durante finais de semana por exemplo, rotas alternativas que passem por ruas mais planas, que demandam menos esforço físico, passando por aquelas de menor tráfego. Assim, caso encontre algum percalço no caminho terá como optar por outra rota sem que isso te atrase ou atrapalhe algum compromisso. E lembre-se: saia com pelo menos 15 minutos mais cedo ao de costume, até porque o ritmo de usar a bike como meio de transporte deve ser mais lento ao quando se pratica atividade física.

4.Não transforme o clima em vilão: usar a magrela todos os dias requer um bom aplicativo de tempo no smartphone e criar o costume de olhar a previsão do tempo antes de sair. Para os dias ensolarados e secos, hidratação, uso de filtro solar e óculos de sol são essenciais, mas o bom mesmo seria evitar pedalar nos horários em que o sol está mais forte. Já em dias chuvosos, levar consigo capa de chuva e uma roupa reserva ajudam a não chegar todo molhado.

5.Não abra mão dos itens de segurança: assim como na motocicleta, capacete e luva são itens indispensáveis para quem pelada porque protegem de impactos e mantém as mãos secas e firmes evitando quedas. E nada de pegar emprestado! Invista em produtos de qualidade e que sejam ideais para o seu tamanho. 

6.Alie a magrela a outros meios de transporte urbano: ao traçar as melhores rotas, leve em conta se nos trajetos há bicicletarias, borracheiros, estacionamentos, pontos de táxi e se por eles passam trem, metrô ou ônibus em que permitam o embarque junto com a bike. Se quebrar, furar o pneu ou mesmo uma chuva torrencial te pegar de surpresa, por exemplo, você pode se valer destes para chegar são e salvo. 

E não se esqueça: tenha sempre um pouco de dinheiro em espécie contigo. Afinal, nas adversidades, sempre acontece algum problema tecnológico ao tentar usar outros meios de pagamento. #ficadica



Com informações dos portais Minha Vida e MSN Brasil
Imagem: reprodução


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...