Últimas

20 de julho de 2016

Saiba comprar produtos integrais e tirar proveito das fibras


Não é novidade, ainda mais para os leitores assíduos do +40BC, que aumentar a quantidade de fibras nas refeições diárias só traz benefícios para saúde e para a manutenção do peso. Além de frutas e hortaliças, há os produtos industrializados ditos integrais que nem sempre são o que parecem. Confira quais produtos integrais valem a pena comprar e como tirar o máximo de proveitos das fibras no preparo e consumo dos alimentos.

Queda do colesterol, controle da pressão arterial, absorção mais vagarosa dos açúcares prevenindo o diabetes, saciedade por mais tempo ajudando a comer menos, prevenção do câncer de intestino e das doenças cardiovasculares. Com todos esses benefícios, parece mais cômodo adquirir fibras ingerindo alimentos industrializados até porque sua durabilidade e praticidade são maiores.

Contudo, nem todos que trazem "integral" na embalagem apresentam quantidade significativa de fibras quanto os alimentos naturais. Da mesma forma, não é porque possui farinha refinada que seja um vilão para a saúde. Aprenda a identificar alimentos industrializados que jogam a favor da nossa saúde com as 3 dicas a seguir:



Leia o rótulo: não se impressione pela embalagem prática e bonita ou por nomes garrafais como "de centeio", "de aveia" ou "multigrãos". Como a legislação brasileira não estabelece quantidade mínima de grãos ou farelo /farinha para que um produto seja considerado "integral", o jeito é ir direto para a tabela nutricional e conferir a quantidade ou o teor de fibras, se é suficiente, bem como a lista de ingredientes. A farinha de trigo integral deve ser o primeiro ou segundo item da lista, já que os itens que estão em maior quantidade no produto são apresentados em ordem decrescente. 

Deixe os clichês de lado: se a farinha de trigo refinada (ou branca, como é popularmente conhecida) vier em primeiro na lista de ingredientes, mas apresentar adição de grãos e /ou de farelo de grãos integrais, o produto está valendo do mesmo jeito. Se as dúvidas persistirem, confira a quantidade ou o teor de fibras na tabela nutricional. Mas não se esqueça de conferir também a quantidade de gordura, sódio e açúcar, que pode jogar tudo a perder principalmente nos casos das barrinhas de cereal e dos biscoitos, bolos e massas ditos integrais, em que as quantidades desses ingredientes geralmente são exorbitantes. Ou seja, integral sim, saudável pero no mucho.

Quem vê cara, não vê fibra: não é porque é branco que o produto não tenha fibras. Da mesma forma, não é porque é mais escuro que seja altamente nutritivo. Exemplo disso é o pão à base de inulina, que é um tipo de fibra, porém sua massa é bastante branca. Já os mais acobreados podem apresentar esta coloração como resultado de processo industrial ou tecnológico que sofreram. Na dúvida, a regra é a mesma: leia o rótulo, seus ingredientes e sua tabela nutricional para sanar as dúvidas antes de colocá-lo no carrinho de supermercado.




Aproveite as fibras ao máximo


Mudanças simples nos seus hábitos de preparo e de consumo de alimentos podem te ajudar a tirar melhor proveito das fibras. Confira mais estas 3 dicas:

Coma, não casque ou não coe: prefira comer a beber sucos porque, além de mais calóricos, nunca apresentarão igual teor de fibras ao encontrado nas frutas, verduras e legumes quando consumidas in natura. Porém, se mesmo assim optar pela bebida, prefira consumi-la sem coar porque grande parte das fibras vão ficar na peneira. Da mesma forma, se for comer, opte por não cascá-los ou retirar seus talos. Se os fizer, procure reaproveitá-los porque possuem grande quantidades de fibras. Há diversas receitas nutritivas e saborosas na internet à base de cascas, folhas e talos de frutas, legumes e verduras.

Incremente receitas e refeições: sempre que possível, troque a farinha branca por farinha integral nas receitas, o arroz branco e o macarrão pelas versões integrais ou por grãos como a quinoa. Da mesma forma, adicione farinhas integrais - como de aveia, chia e linhaça - diretamente nas suas refeições, como em saladas, vitaminas, sopas, sucos, sorvetes e iogurtes. Ainda, crie o hábito de sempre comer legumes e verduras nas refeições diárias e o compromisso de consumir pelo menos 1 fruta por dia.

Congelado é melhor: esta dica é bem interessante e irá contra quem não gosta de comida congelada. Consumir feijão cozido e após o seu descongelamento é muito mais saudável porque apresenta maior teor de fibras ao recém-preparado. 

Ainda, não se esqueça de se hidratar. De nada adiantará consumir quantidades significativas de fibras se você não tomar água na mesma quantidade. A água é vital para que as fibras trabalhem a favor do seu organismo. #ficadica


Com informações de Saúde é Vital e MSN Brasil
Imagens: reprodução




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...