Últimas

20 de fevereiro de 2016

Os cortes que farão a cabeça dos homens em 2016


O ano de 2015 foi marcado pelos estilos lenhador, ou lambersexual, com cabelo undercut e barba grande e densa, e pelo polêmico top knot, ou o "coque samurai", que dividiu opiniões mas fez a cabeça de muitos artistas e até esportistas.

E para este ano, o que os barbeiros e cabeleireiros estão prevendo para as madeixas masculinas? Se jogar no Google, verá de tudo um pouco: alguns sites e revistas apostam na continuidade dos estilos do ano passado, outros apostam num estilo mais certinho e até num revival dos anos 1960 /70. +40BC selecionou algumas apostas para você dar uma olhada antes de tomar a decisão de mudar de visual.


Top knot na versão "coque samurai" e na versão "rabo de cavalo"


O que continua?


O top knot continua mas ganham força duas novas versões com cabelos longos. Na mais básica, que está sendo chamada de "rabo de cavalo", basta prendê-lo, enquanto a undercut com fios longos é a combinação das laterais raspadas ou bem baixas, com máquinas 0 ou 1 até a curvatura da cabeça, e o topo comprido até o queixo, que geralmente é jogado para o lado para contrastar com a base raspada. Contudo, não é com todo mundo que estes três tipos de "coque" combinam. Bom senso também é um fator de elegância e estilo.


Duas variações para o corte undercut com fios longos


Outro que continua é o democrático e versátil razor part, com as laterais raspadas e risco acentuado na lateral feito com navalha ou máquina, que combina com diversos tipos de cabelo, com ou sem barba e pode ser usado até em eventos mais classudos, como casamentos e black-tie, bastando aplicar mousse com brilho molhado. O único inconveniente é que para mantê-lo, como no caso do risco, é necessária manutenção entre 3 a 7 dias. Recomendo se associar à barbearia mais próxima!


Duas variações para o corte razor part


O que é clássico?


O corte repartido nunca sai da moda, principalmente para quem já passou dos cinquenta e /ou frequenta ambientes e eventos muito formais. O comprimento dos fios precisa estar entre 5 e 6 centímetros para se chegar ao efeito desejado, mas não é indicado para quem tem pouco cabelo, falhas ou entradas. Para o dia-a-dia, uma pasta de modelar e secador ajudam os fios a ficarem fixados. Já para um evento, pode-se variar aplicando gel com brilho molhado e penteá-lo com pente de cerdas largas para que os vincos fiquem distribuídos uniformemente.


Duas variações para o corte repartido


O que é tendência?


Não se trata exatamente de um corte novo, mas de um clássico que vive entrando e saindo de moda ao longo dos anos. O famoso topete rockabilly, oficialmente chamado pompadour, foi revisitado e ganhou até novos nome e acabamento. Sai a brilhantina e entra a pasta de modelar.

O quiff é um topete bem alto e menos rígido ao pompadour, em que os fios ficam todos presos e fixados, trazendo as pontas soltas com caimento em formato de onda. Ele é levemente mais baixo nas laterais enquanto o topo e a franja se mantém longos. 


Duas variações para o corte quiff


Para dar o efeito de onda e manter o topete levantado, é preciso fazer uso de pasta de modelar. Se seu cabelo for liso, pode-se trazer os fios para trás com uma escova e secador de cabelo e fixá-los com um spray, sem exagerar para não ficar fixo demais. Para cabelos cacheados, usar a mousse ou shampoo seco (veja algumas dicas aqui) para dar volume e depois fixar os fios para traz com pomada é uma opção.


Com informações do Men's Market Blog, Barba Feita e GQ Brasil
Fotos: reprodução

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...