Últimas

5 de outubro de 2015

Avião supersônico Concorde pode voltar a voar em 2019

 

Nunca houve avião de passageiros mais glamouroso do que ele. Voar naquele que atingia até 2 vezes a velocidade do som (ou 2.146 km/h) era, até 2003, uma das 10 coisas para se fazer antes de morrer. E agora pode estar de volta à lista.

O Clube Concorde, criado por ex-pilotos, comissários e entusiastas do avião, diz ter 120 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 712 milhões na cotação de hoje, 05 de outubro) reservadas para o "plano de retorno" em 2019, que coincide com o 50º aniversário do primeiro voo, além de colocar outro modelo do avião supersônico em exposição permanente ao lado do rio Tâmisa e perto da famosa roda gigante londrina.

Segundo Paul James, presidente do Clube, todas as autoridades se mostraram receptivas à ideia de transformar um Corcorde em atração turística e a London Eye concordou em compartilhar o píer da atração.
"Ficamos impressionados pela quantidade de entusiasmo e de pessoas querendo investir. O apoio mostra quantas pessoas ainda admiram o Concorde e querem vê-lo voando de novo."
O grupo de entusiastas precisa, de acordo com a BBC Brasil, garantir a permissão de planejamento da empreitada, mas James diz que o objetivo é montar a atração em 2017, antes de abrir uma exposição semelhante em Paris.

As negociações em curso buscam adquirir ou arrendar as duas aeronaves que se encontram na França: para o ar seria a que se encontra no aeroporto Le Bourget, em Paris, que seria usada para shows de aviação, eventos especiais e voos fretados (charter) após ser restaurada; e para a exposição seria a que se encontra próxima ao aeroporto de Orly. 




Inigualável


Com o início comercial em 1976, ligando Paris ao Rio de Janeiro com escala em Dakar, no Senegal, e sendo operado apenas pela Air France e British Airways, voar no Concorde era uma experiência única. 

Sua velocidade de cruzeiro era em torno de 2,5 vezes a de qualquer aeronave de passageiros - 1.150 nós contra 450 nós, sendo 1.292 nós o recorde em 19 de Dezembro de 1985 -  foi capaz de um feito memorável: um Concorde e um Boeing 747 da Air France decolaram ao mesmo tempo, o Concorde de Boston e o Boeing 747 de Paris. O Concorde chegou em Paris, ficou uma hora no solo e retornou a Boston, pousando 11 minutos antes do Boeing 747.

Turbulência era uma coisa que raramente o Concorde enfrentava, devido sua grande altitude de voo. Olhando pela janela podia-se ver claramente a curvatura do globo terrestre. A aeronave era mais rápida que a velocidade de rotação da Terra e isso se fazia notar quando ela decolava após o pôr do sol de Londres e chegava a Nova Iorque ainda de dia. 

Porém, por se tratar de um avião supersônico, o Concorde emitia muito ruído e poluição e assim, por muito tempo, restrições ambientais impediram sua operação nos Estados Unidos.




Aposentadoria

O Concorde foi aposentado em 2003, 3 anos após um acidente nos arredores de Paris que deixou 113 mortos. Na ocasião, o avião supersônico pegou fogo pouco após decolar do aeroporto Charles de Gaulle.

Após o desastre, os Concordes foram retirados de operação durante um ano e, após um breve retorno, definitivamente aposentados em 2003. Um juiz francês apontou, após quatro anos de investigações, que um pedaço de metal que havia caído antes de um avião da Continental Airlines desempenhou um papel "direto" no acidente.

Posteriomente, a Justiça francesa retirou as acusações criminais contra a companhia aérea americana, que sempre negou responsabilidade pelo desastre.

Com informações da BBC Brasil e Wikipedia
Imagens: Reprodução /Air France e British Airways

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...