Últimas

22 de setembro de 2015

Exposição Frida Kahlo chega à São Paulo


As obras de um dos maiores ícones do surrealismo mexicano e de mais 16 artistas estarão expostas a partir do próximo domingo, 27 de setembro, em São Paulo. Em 2016, a exposição seguirá para o Rio de Janeiro e para a capital federal, Brasília.

Se você estiver em São Paulo até janeiro de 2016, programe-se para não perder esta exposição, uma das mais inéditas já realizadas no país sobre Frida Kahlo.

Apesar do frenesi em torno da dona das icônicas sobrancelhas, o foco da mostra não é a vida pessoal de Frida, apesar desta se entrelaçar com sua trajetória artística, e sim a influência da artista na produção surrealista mexicana desenvolvida por mulheres nascidas ou radicadas no país natal da pintora, como Maria Izquierdo, Remedios Varo, Rosa Rolanda e Leonora Carrington.




Mito artístico e pop


Frida Kahlo (1907-1954) é uma daquelas artistas que, como poucos, conseguiu transformar tudo de ruim que lhe aconteceu em surreais obras de arte e por isto se transformou em um mito internacional e da cultura pop, ao lado de Salvador Dalí e de Mona Lisa, o famoso quadro de Leonardo da Vinci, por exemplo.

Teve sua vida marcada - e imortalizada em suas obras - pela saúde debilitada, causada por poliomielite contraída ainda na infância, pelas lesões na coluna e no útero devido a um acidente de ônibus, os consequentes abortos e, por fim, pelas inúmeras traições de seu marido, Diego Rivera, um dos mais importantes pintores do México. 

Sua breve vida virou livro e foi encenada no teatro e no cinema. O filme Frida (EUA, 2002), com Salma Hayek vivendo a personagem-título e Alfred Molina no papel de Diego Rivera, com direção de Julie Taymor, foi premiado com 2 Oscars, 1 Globo de Ouro e 1 BAFTA. 


A Exposição


Apesar de Frida Kahlo ter pintado apenas 143 telas em seus 47 anos de vida, apenas 20 delas, sendo 6 autorretratos, além de 13 obras sobre papel - 9 desenhos, 2 colagens e 2 litografias -, que prometem proporcionar ao público brasileiro amplo panorama de seu pensamento plástico, estarão em exposição. Mesmo com número reduzido de obras, esta mostra é considerada um caso raro e inédito no Brasil. 

Dentre as telas, 2 trazem a sua presença, como em El abrazo de amor del Universo, la terra (México). Diego, yo y el senõr Xóloti, 1933, e Diego em mi Pensamiento, 1943, além de uma litografia, Frida y el aborto, 1932

Ao total, a exposição terá cerca de 100 obras se somadas com as de outras artistas participantes, que retrataram a figura icônica de Frida. 

Dentre as mulheres artistas mexicanas vinculadas ao surrealismo, surpreende a abundância de autorretratos e retratos simbólicos. Por meio da fotografia, destacam-se os trabalhos de Lola Álvarez Bravo, Lucienne Bloch e Kati Horna. 



Conforme destaca a curadora Teresa Arqc, é impressionante a constatação de como estas artistas subvertem o cânone para realizar uma exploração de sua psique carregada de símbolos e mitos pessoais. 


"Em alguns de seus autorretratos Frida Kahlo, Maria Izquierdo e Rosa Rolanda elegeram cuidadosamente a identificação com o passado pré-hispânico e as culturas indígenas do México, utilizando ornamentos e acessórios que remetem a mulheres poderosas, como deusas ou tehuanas, apropriando-se das identidades destas matriarcas amazonas". 

Apesar da mostra se centrar nas produções femininas surrealistas mexicanas em torno do mito "Frida", há imagens da pintora a partir das lentes de Nickolas Muray, fotos abaixo, Bernard Silberstein, Hector Garcia, Martim Munkácsi e em uma litografia de seu marido, Diego Rivera, a Nu (Frida Kahlo), 1930



Depois da temporada em São Paulo, a previsão é de que a exposição ficará em cartaz na Caixa Cultural do Rio, entre 02 de fevereiro a 27 de março de 2016, e de lá partirá para Caixa Cultural de Brasília, entre 12 de abril a 12 de junho de 2016. Por ser uma previsão, é recomendável confirmar tais datas porque ainda estão em aberto.


Exposição: Frida Kahlo - Conexões Entre Mulheres Surrealistas no México
Curadoria: Teresa Arqc
Quando: de 27 de setembro de 2015 a 10 de janeiro de 2016
Horários: de terça-feira a domingo, das 11h00 às 20h00, sendo duas sessões por dia, das 11h00 às 15h30, com entrada até às 15h00; e das 16h00 às 20h00, com entrada até às 19h00.
Onde: Instituto Tomie Ohtake
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 201 (entrada pela Rua Coropés, 88), Pinheiros, São Paulo-SP, a 800 metros da estação Faria Lima, Linha 4-Amarela do metrô.
Preços: inteira R$ 10,00 e meia-entrada a R$ 5,00 (entrada gratuita para crianças de até 10 anos, cadeirantes e deficientes físicos). 
Às terças-feiras, a entrada é gratuita a todos, bastando retirar o ingresso na bilheteria que fica aberta das 10h00 às 19h00.
Ingressos antecipados podem ser adquiridos pelo site Ingresse.com
Informações: (11) 2245-1900 ou pelo site.

Com informações dos sites O Beijo, Ingresse.com e Estadão.
Imagens: Reprodução /Divulgação Instituto Tomie Ohtake, Gabriel Nogueira e Catraca Livre

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...